Operação para escoramento do viaduto no Eixão Sul já foi iniciada

54

Para impedir que o restante do viaduto da Galeria dos Estados caia, o governo de Brasília deu início nesta sexta-feira (9) ao escoramento primário da estrutura.

O procedimento vai durar dois dias e consiste na instalação de seis torres para garantir a segurança dos trabalhadores. Por serem feitas de material mais leve, as estruturas são montadas fora da área atingida e em seguida levadas para debaixo do viaduto.

A Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) tocam a obra. A ideia é impedir, do modo mais rápido possível, que a estrutura ceda. Depois, o material será trocado por pilares de sustentação iguais aos usados na concretagem do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Após a fase de escoramento primário, serão instalados 16 pilares de aço debaixo do viaduto. “Com o primeiro escoramento, os trabalhadores vão conseguir colocar os perfis metálicos, que são mais pesados. Nessa hora os eles precisam ficar mais tempo embaixo do viaduto”, explicou o diretor de Edificações da Novacap, Márcio Buzar, que será nomeado diretor-geral do DER-DF.

Essa segunda etapa, com os pilares de aço, permitirá ao governo dar sequência ao projeto para a área e definir se vai demolir ou recuperar o restante do viaduto. Partes da estrutura serão recolhidas e estudadas em laboratórios da Universidade de Brasília para, então, ser definido um diagnóstico da situação.

Enquanto os trabalhadores atuam na área atingida, engenheiros ficam do lado externo em observação constante. Se houver qualquer trinco novo, um apito será acionado para que todos se dirijam a um lugar seguro.

Pela manhã, equipes da Novacap também começaram a marcar a área para instalar tapumes. O objetivo é impedir a passagem de pedestres em pontos de maior risco.

Construção de alças para aliviar o trânsito
Paralelamente à recuperação da estrutura que tombou na terça-feira (6), estão sendo construídas alças para a passagem de veículos. “Três faixas com início e fim na entrada e na saída do Eixão”, disse Buzar.

Segundo ele, está sendo feita a limpeza da área para, em seguida, compactar e colocar o asfalto. A previsão, dependendo da chuva e das medidas de segurança dos trabalhadores, é que fiquem prontas até o fim do carnaval.

Fonte: Agência Brasília 

Fazer comentário